DONATE

Performance e indigeneidade

Convocantes: Julieta Paredes, Petrona de la Cruz, Helen Gilbert, Regina Polo Muller

Uma discussão aprofundada sobre a performance indígena, com um enfoque em artistas e ativistas do México, Canadá, Brasil e Bolívia.

Biografias

Julieta Paredes Carvajal (Bolivia) é uma feminista comunitária aymara lésbica. É membra fundadora de Mujeres Creando, Mujeres Creando Comunidad e a Assembléia de Feminismo Comunitário. É escritora, cantora e poeta antipatriarcal.

Petrona de la Cruz é fundadora da Fortaleza de la Mujer Maya (FOMMA) juntamente com Isabel Juárez Espinosa. É reconhecida internacionalmente pelo seu trabalho e por suas obras. Sua peça Una mujer desesperada foi produzida em 1993 em San Cristóbal como parte do Dia Internacional da Mulher, e foi publicada em Holy Terrors: Latin American Women Perform (Duke University Press, 2003).

Helen Gilbert é Professora de Teatro na Royal Holloway, University of London, onde ela atualmente coordena um projeto transnacional e interdisciplinar sobre indigeneidade e performance no mundo contemporâneo. Seus livros incluem Performance and Cosmopolitics (2007), Sightlines: Race, Gender and Nation in Contemporary Australian Theatre (1998) e Postcolonial Drama: Theory, Practice, Politics (1996).

Regina Polo Muller é livre-docente em Antropologia da Dança pela Unicamp e autora do livro Os Asurini do Xingu, história e arte e de vários capítulos de livros e artigos sobre xamanismo, ritual indígena e performance artística. Desenvolve atualmente pesquisa sobre a arte da performance no Napedra-Núcleo de antropologia, performance e drama/USP, do qual é coordenadora associada.

Background Information
  • Lugar de apresentação: USP - Facultade de Arquitetura e Urbanismo
  • Data: 15 janeiro 2013