DONATE

O Dia de Sheila (1994) Photo/Foto: Edward Cohen
  • Título: Sheila’s Day
  • Holdings: photo gallery, video (HIDVL)
  • Duração: 01:29:38
  • Idioma: English
  • Data da performance: 1994
  • Lugar: Rand Theater, Amherst, Massachusetts
  • Type/Format: play
  • Cast/Performers: Thuli/Nomathema:Rita Babihuga, Qedusizi:Dadawele Koyana, Tu:Vuyiswa Vivi Majova, Annelen/Policeman/Passbook Official: Thandokazi Mniki, Terry/Normareen/Albert Turner:Taura J. Musgrove, Gina/Qedusizi’s Shadow/Reporter/Policeman’s Shadow:Toks Olagundoye, Carla/Donna Lynn/Madam:Nkenge Atiya Scott, Ruby Lee:Nickawanna Shaw, Stephanie/Elmira:Natasha Springer
  • Credits: Written by: Duma Ndlovu, Conceived by: Duma Ndlovu and Mbongeni Ngema, Director: Roberta Uno, Scenic designer: Miguel Romero, Costume designer: Ulises Alcala, Musical director: Horace Clarence Boyer, Lighting designer: Matthew Richards, Sound designer: Will Pile, Executive producers: Julian Olf; Roberta Uno, Production manager: Kristin Brady, Technical director: Chris Higgins, Musical consultants: Tulani Kinard; Mzamo Mangaliso; Thuli Dumakude; Vuyiswa Vivi Majova, Researcher: Amy Levinson, Research assistants: Esther Brienes; Lucy Burns, Assistant Scenic Designer: Troy Hourie, Assistant Lighting Designer: Kevin Barry, Lighting Advisor: Penny L. Remsen, Stage manager: Robin Reed, Assistant stage managers: Megan Cannon; Enrique Luna-Holder, Assistant to production manager: Jennifer Silva

O Dia de Sheila (1994)

‘Sheila’s Day’ (‘O Dia de Sheila’), obra escrita por Duma Ndlovu e dirigida por Roberta Uno, explora as problemáticas relações raciais entre empregadores brancos e empregados domésticos negros e as várias camadas que compõem as estruturas de poder. ‘Sheila’ é o nome que as damas ricas usam para chamar as suas empregadas domésticas, porque elas alegam não conseguir lembrar os seus nomes. Toda quinta-feira é ‘Dia de Sheila’, quando as trabalhadoras domésticas têm um dia de folga e as mulheres encontram-se umas com as outras. Durante esses encontros, é possível conhecer os desejos e esperanças dessas mulheres e a sua crença de que ‘as mulheres têm o poder de mudar o mundo’. Elas se empoderam através da música e das canções, que funcionam como uma história oral e uma linguagem política, e através da sua dança, como um meio de comunicação e de resistência política, transmitindo uma forte afirmação de ser ‘mulher’ e ‘negra’ e, portanto, uma ‘mulher negra’. Elas encontram força através umas das outras, na sua batalha coletiva por liberdade. Canto, dança e reza desempenham um importante papel na sua ligação umas com as outras, e esta proximidade é representada através de vozes e corpos. Esta documentação em vídeo inclui também exercícios anteriores à performance.

icon Sheila’s Day Program (50.88 MB)


Video

Permanent URL: http://hdl.handle.net/2333.1/q83bk593