Donde el viento hace buñuelos (2004) Photo/Foto: HIDVL
  • Título: Donde el viento hace buñuelos
  • Holdings: video (HIDVL)
  • Duração: varies
  • Idioma: Spanish
  • Data da performance: 2004
  • Lugar: varies
  • Type/Format: play
  • Cast/Performers: varies
  • Credits: varies

Donde el viento hace buñuelos (2004)

Versão 1: Donde el viento hace buñuelos (apresentado na Casa Malayerba, Quito, Ecuador)

Donde el viento hace buñuelos (Onde o vento faz Buñuelos) cristaliza uma colaboração artística em andamento entre o Teatro Malayerba (Equador) e Rosa Luisa Márquez (Puerto Rico), produzida sob o nome de Suda/k/ribe. Criada coletivamente através de improvisações das atrizes María del Rosario "Charo" Francés e Rosa Luisa Márquez, visão dramatúrgica e direção de Arístides Vargas, e transformações visuais e espaciais do artista portorriquenho Antonio Martorell, a peça retrata a relação íntima entre duas amigas, desenvolvida durante múltiplos encontros através do tempo e espaço num território escorregadio da memória. As personagens compartilham os encontros e desencontros vividos quando moravam em países cortados por fronteiras, por falta de comunicação, censura, indiferença e violência. Entre a vida e a morte, lembranças e jogos, Catalina e Miranda tecem sua relação, transformando sua amizade numa comunidade de afeto, um país virtual de solidariedade onde vivem entre o exílio político e o espiritual. Música da artista portorriquenha María Pilar Aponte (que representa uma personagem, um anjo da Morte) complementa sua jornada entre o exílio e a memória, o desterro e a solidariedade.

 


Versão 2: Donde el viento hace buñuelos (apresentado no jardim botânico em San Juan, Puerto Rico)

Donde el Viento Hace Buñuelos cristaliza um processo de colaboração em andamento entre os artistas equatorianos do Grupo de Teatro Malayerba e os artistas portorriquenhos Rosa Luisa Márquez e Antonio Martorell. Criada coletivamente através da improvisão das atrizes María del Rosario "Charo" Francés e Rosa Luisa Márquez, com visão de direção e dramatúrgica de Arístides Vargas e transformações visuais e espaciais de Antonio Martorell, "Buñuelos" retrata os múltiplos encontros de dois amigas no tempo e no espaço. Entre a vida e a morte, memórias e jogos, Catalina e Miranda tecem seu relacionamento, uma mãe-pátria virtual no meio do exílio político e emocional. Música da artista portorriquenha María Pilar Aponte (que representa uma personagem enigmática, um anjo da Morte) complementa a sua jornada.


Video

Donde el viento hace buñuelos (Casa Malayerba, Quito, Ecuador)

back to top